News nº 6 | Maio/Junho de 2009
Momentos
Mãe
Mãe
Ana Rute Braziel
Unidade de Tecnologias e Informação
217999405/44274
anabraziel@fm.ul.pt

Na vida de uma mulher a maternidade é o auge! 

Apesar dos meus quatro maravilhosos filhos, não sei se serei capaz de explicar o significado de “Mãe”. Tenho a certeza que levarei uma vida a descobrir… 

O engraçado é que quando penso na palavra “Mãe”, lembro-me da minha. Uma mulher linda, cheia de vida e energia, forte e companheira, sempre presente, que me ensinou o sentido da maternidade. Quantas vezes revejo nas minhas palavras aos meus filhos, as frases da minha mãe… 

Para mim o principal é o Amor. Um Amor incondicional que sentimos por seres minúsculos, um Amor desinteressado e tão intenso que é impossível explicar. Como já disse, tenho quatro filhos: 

- A Alice, com 8 anos – linda, emocional e sensível; 
- A Nadine, com 5 anos – um turbilhão de emoções, forte e muito dedicada; 
- A Amélia, com 3 anos – uma princesa, muito delicada e atenta;
- O Franclim, com 2 anos – um pequeno terrorista, muito meigo e decidido. 

Cada um especial, cada um uma Bênção. Quando olho para eles penso na enorme responsabilidade que tenho para que cresçam felizes e saudáveis. O meu maior desejo é que quando forem mães e pais possam, como eu, dizer: “Quero ser como a minha mãe!” 

Não sei dar conselhos e penso muitas vezes que poderia fazer melhor. Mesmo assim, um exercício que gosto de fazer é muitas vezes pensar como filha. E assim, posso dizer que ser mãe é: 

- Encontrar uma caixa de sapatos para criar bichos–da-seda;
- Aprender a tocar violino com 33 anos, para poder ensinar;
- Ouvir logo pela manhã: “Estás tão linda mamã, pareces uma senhora!”;
- Ouvir gritar “mamã” e pensar que tudo é perfeito;
- Acordar várias vezes durante a noite só para ter a certeza que todos dormem;
- Ficar doente com vírus que só atacam crianças!
- Voltar a brincar;
- Correr à chuva para chegar a horas à sessão de cinema animado;
- Ver nos nossos filhos o nosso reflexo;
- Ter muito medo;
- Não temer coisa alguma;
- Chorar, muitas vezes, de alegria. 

Enfim, é saber com certeza que os nossos filhos crescem e no final não são nossos… Só podemos fazer o nosso melhor cada dia e ter muita fé. 

Se pensar qual foi a única coisa realmente importante que fiz nesta curta caminhada de vida, não tenho dúvidas: foi ser mãe! O único sonho importante que realizei, o único projecto de verdadeiro sucesso!
Pesquisa

Pesquise sobre todas as newsletters já publicadas pela FMUL

  PESQUISAR 

Subscrição

Subscreva a nossa Newsletter e receba todas as informações actualizadas sobre actividades, notícias, eventos e outras acções relevantes da FMUL

  

  ENVIAR 

Propriedade e Edição: Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa
Periodicidade: Mensal
Diretor: Prof. Doutor Fausto J. Pinto
Conselho Editorial: Prof. Doutor Fausto J. Pinto, Prof. Doutor Mamede de Carvalho, Profª. Doutora Ana Sebastião, Prof. Doutor António Vaz Carneiro, Prof. Doutor Miguel Castanho, Dr. Luis Pereira
Gestor de Informação: Ana Raquel Moreira
Equipa Editorial: Ana Cristina Mota, Ana Raquel Moreira, André Silva, Maria de Lurdes Barata, Rui Gomes, Sónia Barroso
Colaboração: Unidade de Relações Públicas e Comunicação - Bruno Moura
Conceção e Suporte Técnico: UTI 
Design e Implementação: Spirituc
e-mail: news@medicina.ulisboa.pt
Morada e Sede da Redação: Avenida Prof. Egas Moniz, 1649-028 Lisboa


Estatuto Editorial


Anotado na ERC