Equipa Editorial
news@fm.ul.pt  



Associação Laço atribui Bolsa de investigação na área do cancro da mama 
Faculdade de Medicina, 16 de Abril 2013 


 
Prof. Sérgio Dias e Lynne Archibald, Presidente da Associação Laço



Bolsa de 25.000 euros financiará o projeto ao longo de dois anos 

Foi entregue, no passado dia 16 de Abril, uma bolsa de investigação na área do cancro da mama pela Associação Laço a um projeto que visa o estudo da relação entre os níveis elevados de colesterol e o crescimento dos tumores.

O responsável pelo Projecto vencedor é o Professor Doutor Sérgio Dias, docente da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e investigador no Instituto de Biologia Molecular.

O Professor Sérgio Dias explica que há evidência experimental que indica que num ambiente rico em colesterol, o cancro da mama cresce mais depressa, podendo alastrar, formando metástases. Os níveis lipídicos (de gordura) podem potenciar o tumor da mama em doentes que já o tenham e contribuir para que possa alastrar a outras zonas.

Os investigadores conseguiram já demonstrar que os níveis de colesterol elevados recrutam um determinado tipo de células da medula óssea e que essas células vão para os tumores. A partir daqui, vão tentar perceber se o colesterol em doentes com cancro da mama recruta algum tipo de células derivadas da medula que vai diminuir a resposta da paciente ao cancro.

Bolsa com duração de dois anos 

Este projeto, que venceu a primeira bolsa da Laço, num valor de 25.000 euros, deverá ter uma duração de dois anos.

De acordo com a Lynne Archibald, presidente da Associação Laço, os principais objetivos desta bolsa de investigação são “perceber a causa ou causas do cancro da mama e porque é que se ramifica para outras zonas do corpo (...) só assim será possível encontrar medidas eficazes de prevenção primária, procurando evitar o cancro metastático”.

Referiu ainda que "sente que este era o momento certo para fazer este investimento e apoio, na medida em que os últimos 10 anos têm sido sinónimo de importantes desenvolvimentos científicos. Estamos muito orgulhosos por estar a encorajar a investigação sobre o cancro da mama em Portugal."


fonte:Lusa