Raquel Moreira
Equipa Editorial
news@medicina.ulisboa.pt 


No dia 20 de Outubro - Dia Mundial da Osteoporose - a Sociedade Portuguesa de Osteoporose e Doenças Ósseas Metabólicas (SPODOM), em conjunto com o Hospital Santa Maria, CHLN, EPE, a Faculdade de Medicina de Lisboa, a Associação de Estudantes da Faculdade de Medicina de Lisboa e a Associação Fung Loy Kok Taoísmo de Portugal, realizou uma Sessão Comemorativa aberta ao público, no Anfiteatro Cid dos Santos. 

Esta comemoração teve o objeto de sensibilizar a população para a doença e seu diagnóstico precoce. Estima-se que cerca de 500 mil portugueses sofram de Osteoporose. Esta doença, cuja prevalência é claramente superior nas mulheres, conduz ao aparecimento de fraturas, que muitas vezes condicionam ou levam à perda total da mobilidade dos doentes. 

Apresentou-se um projeto que será implementado futuramente no Hospital de Santa Maria e que pretende inquirir doentes internados, sobretudo nos serviços cirúrgicos, quanto à ocorrência de fraturas, a fim de apurar se são decorrentes de Osteoporose.
A sessão terminou com a apresentação das vantagens das artes internas taoístas, associada a melhorias nas condições de saúde e bem-estar. As artes internas taoístas consistem num conjunto de práticas centenárias holísticas, que incluem movimentos suaves e coordenados que potenciam o alinhamento da coluna, a flexibilidade nas articulações, a nutrição dos ossos e o consequente aumento da possibilidade de manutenção da densidade óssea. Estas práticas foram exemplificadas, dando a possibilidade de experimentação a todos os participantes.