"Por vezes não sai tudo bem". Os ensaios clínicos têm várias etapas onde a segurança é mais importante do que a eficácia e a resposta humana é variável.














O Prof. Miguel Castanho, da Faculdade de Medicina e Universidade de Lisboa e Investigador do Instituto de Medicina Molecular explicou à TSF que "há uma primeira fase em que os testes são completamente em sistemas artificiais". Só depois de se perceber se a "molécula é eficaz" é que os testes são feitos em animais.

Sublinha que, antes de se passar a uma fase de ensaios clínicos em humanos, a "primeira preocupação é a segurança e é também nesta etapa que se tentam detetar "possíveis efeitos secundários" como por exemplo "qual a melhor dose, qual a dose mais segura." 

Veja a Entrevista Completa AQUI.


fonte: Atlas da Saúde