No dia 15 de abril, na Aula Magna da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, realizou-se a Sessão Inaugural da 1ª edição do Programa Doutoral em Saúde Ambiental (EnviHealth&Co). A cerimónia contou com a presença de altas individualidades nacionais ligadas às áreas da Ciência, Saúde e Ambiente, de Representantes das Empresas Parceiras do EnviHealth&Co, de Representantes das Unidades de Investigação que são Instituições Participantes do Programa Doutoral e de Roberto Bertollini, Professor Visitante da FMUL, Representante da OMS junto da União Europeia, Coordenador Científico do Gabinete Regional da OMS para a Europa e Coordenador do Departamento de Saúde Pública e Ambiente da OMS, que proferiu a Lição de Abertura do Programa abordando o tema “Preventive disease through a healthy environment: a challenge and an opportunity for public health in the XXI century“. 

As intervenções da Sessão inicial de boas vindas estiveram a cargo do Vice-Reitor da ULisboa, Prof. Doutor Rogério Gaspar, do Diretor da FMUL, Prof. Doutor Fausto Pinto, do Vice-Presidente da FCT, Prof. Doutor Miguel Castanho, e do Diretor do EnviHealth&Co, Prof. Doutor J. Pereira Miguel, também em representação do Ministro da Saúde que, por imprevistos de última hora, não pôde estar presente.


 


Na sua alocução, J. Pereira Miguel começou por enquadrar e realçar a relevância crescente da temática da Saúde Ambiental, chamando depois a atenção para o muito que há a fazer em termos globais, regionais e locais, e identificando os contributos que, nomeadamente a ULisboa e a FMUL podem e têm já dado, sobretudo no avanço e translação do conhecimento nesta área, em benefício da fundamentação científica de políticas públicas e da inovação social e impacto económico favorável. Descreveu depois o percurso da Saúde Ambiental na FMUL, desde o reconhecimento da relevância do “meio ambiente” para a saúde, ensinada por Leal da Costa (Pai) e Torres Pereira nos idos de 70, até aos nossos dias, com a criação, em 2013, do Instituto de Saúde Ambiental (ISAMB), Unidade Estrutural da FMUL e Unidade de I&D da FCT, e, mais recentemente, com a criação do Programa de Doutoramento em Saúde Ambiental (EnviHealth&Co), organizado à volta do mais moderno conceito operacional de Ambiente para a Saúde e baseado na própria estrutura do ISAMB e nos docentes e investigadores a ele associados. 


 

O EnviHealth&Co, embora enquadrado pelo Programa Doutoral do Centro Académico de Medicina de Lisboa (CAML), tem um carácter fortemente inovador na medida em que é o único na área da Saúde reconhecido e aprovado pela FCT como um Programa de Doutoramento a ser desenvolvido em ambiente empresarial, sendo cofinanciado pela FCT e pelas Empresas Parceiras do EnviHealth&Co com 24 bolsas de Doutoramento de 4 anos cada.

De uma maneira geral, todos os oradores se referiram à relevância deste Programa Doutoral e ao seu potencial contributo para o avanço e translação do conhecimento nas complexas relações entre Ambiente e Saúde. Neste contexto, as mensagens finais de J. Pereira Miguel foram primeiramente dirigidas ao Ministro da Saúde, recomendando, a nível político, o maior empenhamento possível na participação nacional no Processo Ambiente e Saúde dinamizado pela OMS desde 1989. A nível estratégico, sugeriu o reforço não só da dimensão ambiental em temas que estão na ordem do dia para a Saúde e vice-versa (aspetos que deverão reforçar o Plano Nacional de Saúde ainda vago de orientações estratégicas neste domínio), mas também da avaliação do impacto do Ambiente sobre a Saúde e sobre o Sistema de Saúde (aliada à avaliação do impacto ambiental já assente em bases legais).


 

Na mesma linha, recomendou às Empresas Parceiras o melhor aproveitamento possível da oportunidade oferecida pelo EnviHealth&Co para a reorientação da respetiva Agenda de I&D ao incluir temas naturalmente alinhados com os objetivos e estratégias da sua área de negócio, mas também necessariamente focados nas relações entre o Ambiente e a Saúde dos seus clientes, trabalhadores, fornecedores e demais públicos com quem a Empresa interage, desta forma contribuindo para o equilíbrio entre a sua atividade, o Ambiente e a Sociedade. Aos Doutorandos do EnviHealth&Co, recomendou o máximo empenhamento no aproveitamento desta oportunidade única, criando a melhor relação possível com a Academia e as Empresas e centrando-se nas questões mais relevantes para as Empresas, o País e o Mundo. A perspetiva será a de contribuírem para resolver estas questões, sem perderem de vista a possibilidade de gerarem inovação tecnológica ou social e de tirarem o máximo partido da fusão possível entre os saberes pretéritos e os que o EnviHealth&Co lhes vai proporcionar. Recomendou ainda, a todos os presentes, o maior empenhamento para seguir as orientações e recomendações enunciadas, realizando cada um a parte que lhe compete.

 


A terminar a Sessão Inaugural, a Lição de Abertura do EnviHealth&Co proferida por Roberto Bertollini constituiu o ponto alto do evento, demonstrando não só a necessidade de mais e melhor investigação para a criação de ambientes de suporte a uma vida saudável, mas também a relevância atual e crescente de iniciativas nesse sentido, a exemplo da que o Programa EnviHealth&Co concretiza. Foi ainda uma exortação à imprescindível intervenção de cada um, desde o cidadão anónimo ao decisor político, para o equilíbrio sustentável do binómio Ambiente-Saúde, um desafio e também uma oportunidade para todos no dealbar do século XXI.



Profª. Doutora M. Fátima Reis 
Professora Auxiliar da FMUL
Instituto de Medicina Preventiva