video reportagem


A fusão entre a Universidade Clássica e a Universidade Técnica de Lisboa comemorou, este ano, o seu terceiro aniversário. Esta fusão representou um dos acontecimentos de maior relevância no sistema de ensino superior no nosso país. A Universidade de Lisboa assumiu-se como a maior instituição de ensino superior de Portugal.

Segundo o Reitor, Prof. António Cruz Serra, os resultados deste acontecimento só poderão ser avaliados a longo prazo, em função do sucesso profissional que tiverem os atuais estudantes e o impacto dos resultados da investigação produzida.

A Universidade de Lisboa ganhou uma posição de vanguarda no contexto nacional e ibero-americano, e um maior relevo no contexto europeu e mundial, podendo comparar-se à maioria das universidades das capitais europeias. No ranking de Xangai, subiu para a posição 201 a nível mundial. No ranking SCImago, classificação académica ibero-americana de produção científica, passou a ocupar o 2º lugar, em 2014.

O resultado mais visível, a curto prazo, foi uma maior eficiência na gestão. A fusão permitiu transferir recursos para o ensino e para a investigação. Uma redistribuição e reorganização de serviços permitiu a contratação e o consequente pagamento anual dos salários de 80 novos professores em início de carreira.

Na mesma linha de ação foi também possível atribuir Bolsas de Doutoramento e Bolsas de Apoio ao Doutoramento que visaram atribuir mais de 150 bolsas em todas as áreas do conhecimento. Assim, foi possível dar apoio à formação pós-graduada e à investigação científica. 





Raquel Moreira
Equipa Editorial
news@medicina.ulisboa.pt