Manuel Valente Alves
tel (+351) 217 985 153
fax (+351) 217 985 114
e-mail: museu@fm.ul.pt  

Génese 
A Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL), fundada em 1911, possui um valioso património histórico-cultural, constituído por peças de cariz técnico-científico e outras, disperso pelas várias unidades que a constituem.

Considerando a necessidade urgente de preservar e dinamizar todo este património, a direcção da Faculdade decidiu reorganizar, em Setembro de 2003, o seu Núcleo Museológico, tendo nomeado Manuel Valente Alves para dirigir e coordenar os trabalhos conducentes à sua concretização, o primeiro passo para a criação do Museu de Medicina.

Em Fevereiro de 2005, a direcção da Faculdade homologa a transformação do Núcleo Museológico em Museu de Medicina, sendo-lhe atribuído espaço próprio provisório no edifício principal da Faculdade.

Filosofia
A prática médica é assumida, desde Hipócrates, fundador da medicina racional, como uma arte e uma ciência. Com efeito, a percepção dos fenómenos da saúde e da doença individual faz-se em geral cruzando métodos de avaliação qualitativos e quantitativos, conjugando a subjectividade dos sintomas das pessoas com a objectividade técnica e analítica das máquinas e instrumentos. O Museu de Medicina assume a tradição humanista da medicina, através da sua programação e actividades, promovendo a ligação entre a medicina e a arte e as ciências humanas, naturais e sociais. 


Objectivos
O desenvolvimento da FMUL tem-se traduzido, nos últimos anos, por um crescente número de parcerias de investigação e de ensino organizadas em rede. A necessidade de gerir eficazmente este complexo, não só ao nível da circulação da informação mas também da gestão dos recursos humanos e técnicos, tem estimulado a prática de experiências pedagógicas e científicas inovadoras baseadas na circulação de ideias pessoas, procedimentos e culturas. 

Neste contexto, o Museu de Medicina, surge como uma moderna interface cultural, cujos objectivos principais são, além da preservação, estudo, divulgação e valorização do património da Faculdade (através de exposições, edições e reuniões científicas), a promoção da investigação e do ensino da história da medicina, do pensamento médico e da cultura, dentro e fora da Faculdade, numa perspectiva interdisciplinar. 


Actividades (selecção) 

1. SITE DA INTERNET www.museudemedicina.fm.ul.pt

Desenhado pela equipa responsável pelo projecto gráfico do Museu de Medicina, este site bilingue (português/inglês) está acessível ao público desde o dia 23 de Fevereiro de 2005. 

2. PRODUÇÃO EXPOSITIVA
2.1 Exposição «Passagens. 100 Peças para o Museu de Medicina» (2005). Museu Nacional de Arte Antiga. Comissários: Manuel Valente Alves, Anísio Franco, José Alberto Seabra Carvalho, Maria João Vilhena de Carvalho.
De humani corporis fabrica de Vesálio
De humani corporis fabrica de Vesálio na exposição «Passagens – 100 peças para o Museu de Medicina» no Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa (2005). Foto: Nina Szielasko


Esta primeira exposição produzida pelo Museu de Medicina, resultou de uma parceria com o Instituto Português dos Museus. Foi inaugurada no Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA), em Lisboa, no dia 24 de Fevereiro de 2005. Esteve patente ao público desde essa data até 30 de Abril de 2005, tendo tido mais de 18 000 visitantes.

A história da angiografia cerebral
A história da angiografia cerebral na exposição «Passagens – 100 peças para o Museu de Medicina» no Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa (2005). Foto: Nina Szielasko



Nesta exposição, 100 peças da FMUL, provenientes dos seus institutos, laboratórios e clínicas universitárias, estabeleciam diálogo com importantes obras de arte das colecções do MNAA, através de uma sábia montagem que permitia o cruzamento e a interacção de objectos tecnocientíficos (modelos anatómicos, preparações humanas, mecanismos e imagens médicas, instrumentos de medida e de observação) com obras de arte (pinturas, esculturas e peças de artes decorativas).


3. PRODUÇÃO EDITORIAL

3.1 Circulação (2004). Editores: Manuel Valente Alves e António Barbosa. Bilingue
(português/inglês). 338 pp.

Livro: Circulação


Textos: A. Bugalho de Almeida, A. Castanheira Dinis, A. Dinis da Gama, A. Gonçalves Ferreira, Alexandre Castro Caldas, António Barbosa, Armando Brito de Sá, Carlos Perdigão, Carlota Saldanha, F. Lacerda Nobre, Henrique Bicha Castelo, I.P. da Silva, J. Alexandre Ribeiro, J. Braz Nogueira, J. Fernandes e Fernandes, J. Martins e Silva, Jacinto Gonçalves, Jaime Celestino da Costa, João Lobo Antunes, João Sá, Jorge Dias de Deus, José-Augusto França, José Luís Porfírio, José M. Ferro, Luís Silva Carvalho, Luís Valadares Tavares, Luísa Gama Caldas, Manuel Duarte Oliveira, Manuel Graça Dias, Manuel João Pereira, Manuel Valente Alves, Maria José Forjaz de Lacerda, P. Brogueira, Pedro Lapa e Vítor Oliveira. Design gráfico: Nina Szielasko

O lançamento do livro foi feito no dia 17 de Novembro de 2004 no Encontro Anual da FML. Apresentação: Raquel Henriques da Silva.


3.2 Guia da Exposição Passagens (2005). Bilingue (português/inglês). 32 pp.

3.3 Passagens (2005). Editor: Manuel Valente Alves. 304 pp.

Guia da Exposição Passagens


Além de imagens da exposição «Passagens» e de todas as peças expostas, contém informação científica sobre cada uma delas, imagens da montagem da exposição, uma análise do inquérito aos visitantes, as actas dos colóquios e outros textos de reflexão e crítica.

Textos: Dalila Rodrigues, João Martins e Silva, Manuel Valente Alves, Anísio Franco, José Alberto Seabra Carvalho, Maria João Vilhena de Carvalho, João Miguel Fernandes Jorge, Teresa Paiva, José Miranda Justo, Maria Filomena Molder, J. F. David-Ferreira, José Bragança de Miranda, Maria de Belém Roseira, Manuel Villaverde Cabral, José Gil, António Fernando Cascais, João Lima Pinharanda, Nuno Crato, Cristina Branco, José Luís Porfírio, Marta de Menezes, Luís Graça e João Mourão. Design gráfico: Nina Szielasko

3.4 Filme da exposição Passagens (2005). Coordenação: Manuel Valente Alves. Duração: 58 minutos.

O filme cruza imagens da exposição e da sua montagem com entrevistas aos responsáveis pela organização e outras personalidades ligadas ao ensino, à investigação, à cultura e à política: Manuel Bairrão Oleiro, Dalila Rodrigues, José Luís Porfírio, Anísio Franco, José Alberto Seabra de Carvalho, Maria João Vilhena de Carvalho, J. Martins e Silva, Teresa Paiva, David Ferreira, João Miguel Fernandes Jorge, José Miranda Justo, Maria Filomena Molder, José Gil, Manuel Villaverde Cabral e Maria de Belém Roseira.

Foi apresentado, pela primeira vez ao público, na Reitoria da Universidade de Lisboa, por ocasião da Abertura do Ano Académico 2005/2006, em 10 de Novembro de 2005, tendo ficado em exibição permanente no átrio da Reitoria até 22 de Dezembro de 2005.


4. COLABORAÇÃO EM PROJECTOS I&D (FINANCIADOS PELA FCT)

4.1 «Filosofia, Medicina e Sociedade» (2007-2010), Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa

Este projecto, desenvolvido em parceria com o Museu de Medicina da FMUL, tem, entre outros, o objectivo de aprofundar o vínculo entre filosofia e medicina, explorando a inteligibilidade recíproca entre uma e outra, caracterizar o ethos médico e analisar as questões fundamentais que estão em debate hoje no domínio da bioética.

4.2 «Literatura Médica e Representações do Corpo do Século XVI ao XIX» (2007-2010), Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa

O trabalho em curso envolve a colaboração com o Museu de Medicina da FMUL, o Centro de Estudos de Filosofia da Medicina do IPO-Lisboa, a Sociedade Portuguesa de Psicossomática, o Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (IPATIMUP) e o Instituto de Ciências Sociais (ICS).

Está prevista uma exposição bibliográfica na Biblioteca Nacional, em 2010, assim como a edição de um catálogo impresso com as obras e autores mais relevantes, e um catálogo em suporte digital com a totalidade dos espécimes existentes. Além disso, será editada uma colecção de obras médicas de autores portugueses. 


4.3 «A Imagem na Arte e na Ciência» (2007-2010), Centro de Filosofia das Ciências da Universidade de Lisboa 

Manuel Valente Alves coordena uma das linhas de investigação deste projecto multidisciplinar em que colaboram as Faculdades de Medicina e Belas Artes da Universidade de Lisboa (FBAUL), que se propõe identificar, catalogar e estudar a inexplorada colecção de desenhos anatómicos do Museu de Medicina, comparando-a com a colecção de desenhos de nu da FBAUL, confrontando assim o estudo científico da anatomia humana e o desenho artístico do corpo humano. 

Está prevista uma exposição na Fundação Calouste Gulbenkian, em 2011, bem como a realização de conferências e a publicação de um catálogo.

5. PARTICIPAÇÃO NO ENSINO PRÉ-GRADUADO DA FMUL 

5.1 Disciplina de História da Medicina. Manuel Valente Alves, director do Museu, em colaboração com António Castanheira Dinis, vem organizando o programa, objectivos e conteúdos da disciplina de História da Medicina do curso de licenciatura e mestrado integrado em Medicina desde 2007/2008. A partir de 2008/2009 Manuel Valente Alves é co-regente, com Castanheira Dinis, da disciplina.


6. ORGANIZAÇÃO DE REUNIÕES CIENTÍFICAS 

6.1 Colóquios «Passagens» (2005). Auditório do Museu Nacional de Arte Antiga.
Coordenação: Manuel Valente Alves.

Participantes: Manuel Bairrão Oleiro, J. Martins e Silva, Dalila Rodrigues, Manuel Valente Alves, João Miguel Fernandes Jorge, José Miranda Justo, Teresa Paiva, Maria Filomena Molder, José Bragança de Miranda, David Ferreira, Maria de Belém Roseira, José Gil e Manuel Villaverde Cabral.

6.2 Workshop internacional «Vesalius – A Redescoberta da Anatomia» (2009), Grande Auditório do Edifício Egas Moniz. Coordenação: Manuel Valente Alves e Joana Mesquita.

Participantes: Manuel Valente Alves, Joana Mesquita, António Barros Veloso, Adelino Cardoso, Lucy Lions, Sebastião Resende, Silvia di Marco, Teresa Levy e Jacquie Pigeaud.

7. PARTICIPAÇÃO EM REUNIÕES CIENTÍFICAS 

7.1 «Simpósios sobre Saúde Portugal-Brasil 200 anos» (2008), Academia Nacional de Medicina, Rio de Janeiro, Brasil. Organização: Alto Comissariado da Saúde e Fundação Oswaldo Cruz. A convite da organização destes simpósios, Manuel Valente Alves proferiu a conferência «Cultura médica e Cosmopolitismo em Portugal nos séculos XIX e XX», no dia 7 de Julho de 2008. Foi publicada uma versão revista e aumentada na Revista da Faculdade de Medicina de Lisboa (RFML 2009; Série III; 14 (1): 3-23). 

7.2 «Medicina, Laboratório e Sociedade – Trajectos e expressões da História da Medicina e da Saúde em Portugal» (2009), Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, Lisboa. Organização: Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, Sociedade de Geografia de Lisboa e Centro Inter Universitário de História das Ciências e da Tecnologia. A convite da organização desta conferência internacional, Manuel Valente Alves proferiu a palestra intitulada «Ricardo Jorge e a Investigação Científica em Portugal», no dia 25 Maio de 2009. Aguarda publicação.


8. EMPRÉSTIMO DE OBRAS PARA EXPOSIÇÕES
8.1 «Fundação Calouste Gulbenkian – 50 anos ao serviço da saúde» (2007), Fundação Calouste Gulbenkian , Lisboa. Comissariado: Ana Eiró e Jorge Soares 

8.2 «Medicina e Saúde no Brasil e Portugal» (2008), Museu Histórico Nacional, Rio de Janeiro, Brasil. Comissariado: Helena Severo. 

8.3 «Saúde e Medicina em Portugal e no Brasil – 200 anos» (2008/2009). Museu de Ciência da Universidade de Lisboa, Lisboa. Comissariado: Ana Eiró e Jorge Soares 

8.4 «Museu São João de Deus – Psiquiatria e História» (2009). Casa de Saúde do Telhal. Coordenação: Álvaro Lavarinhas